Quarta, 03 Agosto 2016 00:00

Prefeito é acusado de contrabandear pneus doados pela Receita Federal

Escrito por  VALQUÍRIA ORIQUI
Avalie este item
(0 votos)

O prefeito de Jardim, Erney Cunha (PT), o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Urbanos, Dival Willeman de Souza e mais três empresários no ramo de pneus foram indiciados hoje, pela Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), por falsidade ideológica e contrabando, por recolocarem no mercado pneus doados pela Receita Federal à prefeitura.

Conforme a delegada responsável pelo caso, Ana Cláudia Medina, o crime foi descoberto durante a Operação Vulcan. “No início de junho, a Deco recebeu denúncia de que os pneus doados pela receita, em dezembro de 2015, estavam sendo comercializados em borracharias de Jardim. Diante disso, foi instaurado inquérito, com autorização do TJ, e passamos a investigar. Em 22 de junho foram apreendidos 131 pneus oriundos de descaminho, que tinham sido doados e estavam novamente sendo comercializados”, explicou Medina.

Ao Portal Correio do Estado, a autoridade policial relatou que os envolvidos foram indiciados por peculato, contrabando, falsidade ideológica e associação criminosa. “Ele alega que usaria na frota, mas é improbidade administrativa, gerando prejuízo ao patrimônio público”, pontuou.

Ainda segundo Medina, a investigação apontou que 200 pneus de caminhão apreendidos pela Receita Federal e doados à prefeitura estavam sendo vendidos em lojas de Jardim e Bonito. “Os empresário confirmaram que receberem os pneus, e, visando lucro, aceitaram a oferta de trocar dois pneus por um”, reforçou ela ao destacar que a comercialização foi feita “sem qualquer legalidade ou formalização de documento”.

A delegada enfatizou que após as apreensões ninguém da prefeitura a procurou. “Como não fomos procurados por ninguém da prefeitura, seguimos para Campo Grande e enviei ofício para que o prefeito se manifestasse, isso em 27 de junho”, destacou.

Procurado pela equipe de reportagem, o prefeito Erney afirmou que não sabia de nenhuma tramitação envolvendo seu nome. “Eu não tinha conhecimento dessa troca feita pelo secretário, tomamos conhecimento através da imprensa, abrimos sindicância para apurar o fato. No inquérito não existe indício sequer que envolva meu nome. O indiciamento dela é tendencioso, tem cunho político”.

No dia 21 de julho, a delegada explica que o petista mandou resposta via ofício, onde afirmou que realmente a permuta havia sido feita, e ainda indicou que haviam sido negociados 56 pneus em borracharia em Bonito, diante disso, equipe se deslocou e confirmou os fatos, e disseram ainda que já haviam vendido tudo sem qualquer documentação. O prefeito causou prejuízo e gerou lucro indevido, que é o lucro do crime”, ponderou.

De acordo com a delegada, o lucro em cima de cada pneu era de 35% em cima do valor unitário, que era vendido por R$ 1 mil.

Lido 185 vezes